CAPA-Acupuntura sem agulha funciona no tratamento contra a diabetesDe acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo Ministério da Saúde juntamente com o IBGE e divulgada aqui, temos hoje, no Brasil, cerca de 9 milhões de pessoas com diabetes, correspondendo a 6,2% da população adulta do país.

Diabetes é uma doença silenciosa e que não descrimina idade, sexo ou raça.

Prova disso são os percentuais de prevalência da doença por faixa etária divulgados nessa pesquisa, onde 0,6% dos 9 milhões de casos aconteceram nas pessoas entre 18 e 29 anos, 5% nas pessoas entre 30 e 59 anos, 14,5% nas pessoas entre 60 e 64 anos, 19,9% nas pessoas entre 65 e 74 anos e 19,6% nas pessoas acima de 75 anos de idade.

Nos últimos anos, tem-se experimentado novas alternativas de tratamentos para a diabetes e a acupuntura (com agulhas) tem se destacado bastante e comprovando resultados.


Ainda mais recente, começou-se a inserir no tratamento da diabetes a técnica da Koryo Sooji Chim (acupuntura se agulhas), também conhecida como Manopuntura na Espanha, e essa também tem mostrado grandes resultados.

No ano de 1971, o médico  sul-coreano chamado Dr. Tae Woo yoo, criou a Koryo Sooji Chim (acupuntura se agulhas), que tem por base a milenar Acupuntura Chinesa e propõe acabar com dores por todo o corpo e servir como tratamento alternativo de várias doenças, através da pressão em pontos específicos das mãos, sem a necessidade do estímulo com as agulhas.

MIOLO-Acupuntura sem agulha funciona no tratamento contra a diabetes

 

Como a Koryo Sooji Chim (acupuntura sem agulhas), ajuda a controlar o diabetes?

As técnicas de pressão de pontos aplicada pelo Koryo Sooji Chim (acupuntura se agulhas), causam a redução da taxa de glicose e não causam efeitos colaterais no paciente.

Isso acontece por que, ao estimular pontos específicos na mão, o cérebro passa a mandar mais mensagens de estímulo ao funcionamento do pâncreas, órgão que produz a insulina, e assim provoca a diminuição da necessidade de usar injeções de insulina.

Isso foi comprovado em uma pesquisa realizada pela Universidade de Mogi das Cruzes, feito por Mara S.E.P. Tosato, Juliana P. Tosato e Daniela A. Biasotto-Gonzales, do curso de fisioterapia e divulgado na Revista Brasileira de Ciências da Saúde, na edição nº 5, de janeiro/Junho 2005.

Nessa pesquisa concluiu-se a eficacia do tratamento de pacientes diabéticos com a técnica da Koryo Sooji Chim, onde verificou-se a redução da taxa de glicose, de um paciente com diabetes melitus do tipo II, com 64 anos de idade, de um índice glicêmico de 226mg/dl para 106mg/dl, após 4 meses de tratamento com a técnica do Koryo Sooji Chim.

Atenção!

Mesmo o Koryo Sooji Chim já tendo se mostrado eficaz na redução do  índice glicêmico, em diabéticos, não recomenda-se deixar de usar os medicamentos farmacêuticos.

Pois a depender do tempo da doença, a pessoa não tem mais secreção no pâncreas para ser estimulada e por isso, a técnica, nesses casos, só poderia ser usada como aliada à medicação.