CAPA-Diabetes e as peculiaridade da diabetes mellitus tipo 2

O diabetes é uma das doenças com maior percentual de acometidos em todo o mundo. Ela aparece, principalmente, nas pessoas com idade de 20 a 79 anos e o Brasil está no ranking mundial de pessoas com diabetes no 4º lugar, com aproximadamente, 6,2% da sua população infectada pela doença.

A diabetes não tem cura! Apenas tem tratamento e assim, pode ser controlado. Uma cura está sendo estudada através de várias linhas de pesquisas, mas como ainda são pesquisas, a cura necessita ser comprovada e ainda não pode ser indicada como medicação.

A diabetes, não é apenas uma doença. Essa nomenclatura serve para denominar um conjunto de doenças, que tem o aumento da concentração de glicose no sangue, uma característica em comum.

Dessa forma, a diabetes causa a falta ou a má absorção de insulina pelo organismo humano e consequentemente, uma dificuldade na absorção de açúcar. Isso acontece por que, quando a insulina está em quantidade insuficiente no organismo, ela não consegue carregar todo o açúcar para dentro das células, e ele acaba se acumulando no sangue.


De acordo com uma pesquisa feita pelo “International Diabetes Federation” e divulgada no ano de 2013, havia neste ano 382 milhões de pessoas com diabetes em todo o mundo.

Isso representa que 8,3% da população mundial têm diabetes e ainda segundo essa pesquisa, assim como houve o aumento no número de casos de pacientes diabéticos de 2012 para 2013 (eram 371 milhões no relatório de 2012), a tendência é de que continue aumentando o número de pacientes com diabetes e que em 2035 esse número chegue a 592 milhões de pessoas com diabetes em todo o mundo, representando um aumento de 55% em relação a 2013.

MIOLO-Diabetes e as peculiaridade da diabetes mellitus tipo 2

Existem quatro tipos de diabetes: a diabetes mellitus do tipo 1, a diabetes mellitus do tipo 2, a diabetes gestacional e a diabetes associados a outras patologias e cada uma tem suas peculiaridades. No caso da diabetes mellitus tipo 2, anteriormente conhecida como diabetes mellitus não-insulino-dependente ou diabetes tardia, as células são resistentes à ação da insulina. Esse tipo aparece mais nas pessoas com mais de 40 anos de idade.

A diabetes mellitus tipo 2, apresenta como peculiaridade o fato de poder não ser insulinodependente, ou seja, o paciente pode não precisar usar as injeções de insulina.

Ao contrário das pessoas que tem a diabetes do tipo 1, os acometidos pela diabetes mellitus tipo 2 produzem insulina, mas o seu corpo resiste à insulina e não a usa corretamente. Outro situação de um paciente dessa doença é quando ela não produzir insulina suficiente para suprir as funções do seu corpo e assim sobra açúcar no sangue.

Os principais cuidados, fazer exercícios físicos de forma regular, ter uma dieta controlada, verificação da glicemia diariamente e evitar locais muito quentes, como as saunas.