CAPA-Evite ser contaminado por meningite, doença também  transmitida pelo caramujo africano.

Quem nunca ouviu falar do escargot! Esse prato típico da culinária francesa feito com a carne de caracol, conquistou todo o mundo, inclusive o Brasil.

No Brasil, foi introduzida ilegalmente na década de 1980, no estado do Paraná, a criação de caramujo africano, como uma alternativa mais barata para a produção do escargot no Brasil.

Quando essa alternativa se espalhou para o resto do Brasil e não obteve aceitação, alguns dos criadores de caramujo africano resolveram libertar os animais em território brasileiro, sem a devida preocupação com as consequências para o meio ambiente nativo.

 

Isso causou uma infestação desses animais, considerados como uma praga e que hoje já podem ser encontrada em 23 estados brasileiros.


Por que falar sobre o caramujo africano?

Além do caramujo africano ser péssimo para a agricultura brasileira e para a conservação de espécies nativas, devido à sua resistência, a falta de predadores naturais e alta capacidade de procriação, esse predador alimenta-se inclusive de caracóis nativos e se tiver contaminado transmite sérias doenças ao ser humano.

O caramujo africano é hospedeiro de duas espécies de vermes capazes de provocar sérias doenças ao ser humano, o Angiostrongylus costaricensis e o Angiostrongylus cantonensis.

A espécie de verme Angiostrongylus costaricensis quando entra em contato com o ser humano, provoca a doença chamada de angiostrongilose abdominal.

Esta é uma doença caracterizada por provocar a perfuração do intestino e seus sintomas são bem semelhantes aos que um paciente apresenta em um quadro de apendicite.

A outra espécie de verme que o caramujo africano é hospedeiro é a Angiostrongylus cantonensis, que é responsável pela doença angiostrongilíase meningoencefálica em humanos (conhecida como meningite), cujos sintomas são bem variáveis e de letalidade muito alta.

O contágio pelos vermes ocorre tanto em uma quanto outra doença através da ingestão do parasita, podendo ser contaminado no manuseio dos caramujos, ingestão destes animais sem prévio cozimento, ou ingestão de alimentos que foram contaminados por seu muco.

MIOLO-Evite ser contaminado por meningite, doença também  transmitida pelo caramujo africano.

Quais cuidados tomar para evitar contaminação pelo caramujo africano?

É importante sempre desinfectar os itens alimentares, lavando-os e os deixando de molho por cerca de quinze minutos a meia hora em uma solução feita com uma colher de água sanitária para cada um litro de água.

E caso você cultive os alimentos e seu terreno esteja contaminado com o caramujo africano, indica-se a capturar manualmente os caramujos africanos e seus ovos, quebrando as suas conchas antes de eliminá-los, dentro de sacos plásticos e com a aplicação de cal virgem sobre os caramujos quebrados.


Outra alternativa também é borrifar uma solução de 20 gramas de sulfato de cobre em 1 litro de água, nas plantas e no solo. Isso faz com que os caramujos morram.