Tirando o fator alimentação, a vida de quem tem a doença celíaca é como a de todos. Com alegrias, momentos de tristezas e tudo mais. Claro existe sempre a preocupação extra com a alimentação, mas isso não impede que os celíacos tenha uma vida normal e feliz, principalmente as crianças.

Vida Normal

A vida do celíaco pode e deve ser normal. Desde que este esteja sempre seguindo uma dieta sem glúten, ele sempre terá as mesmas capacidades físicas e intelectuais que um não celíaco.

Não existe necessidade de excluir as crianças do convívio com outras crianças, seja nas atividades físicas e até mesmo no momento de se alimentar, desde que esta criança esteja ciente de sua condição.

A futura mamãe não precisa se preocupar, a amamentação é um “fator protetor” à saúde do bebe, não previne nem tampouco transmite a doença celíaca. Portanto não deixe de amamentar seu bebê.


Cuidados especiais e atenção redobrada

* Quando a doença é detectada na infância, desde cedo aprende-se que o mais importante é sempre observar se o que vai comer tem ou não o glúten. Devido a lei imposta desde 2003, todos os produtos industrializados trazem a informação, portanto atenção ao rótulo.

Na dúvida, melhor não arriscar, não coma.
* O dano no intestino para quem tem a doença celíaca pode levar à intolerância da lactose, portanto deve-se ter a atenção redobrada.
* Tente assar separadamente carnes e massas, pois as carnes podem ser  “contaminadas” com a proteína.
* Quando for fazer pudins, cremes ou molhos nunca use farinhas.
* No preparo da alimentação use utensílios separadamente, para que resíduos dos produtos normais não se misturem aos sem glúten.
* Cuidado com o café, pois muitos acrescentam cevada para fazer “render”, certifique-se que tenha o selo de qualidade da ABIC.
* Separe com rótulos diferentes na geladeira os alimentos sem glúten, de preferência com cores difeerntes. Isso evita confusões.
* Não reutilize óleos em que foram fritos empanados com farinha de trigo ou farinha de rosca (feita de pão torrado).
* Tempero completo e amaciantes de carnes industrializados, podem conter glúten, então evitar é sempre o melhor.
* Se vai a um restaurante peça pratos mais simples como grelhados e explique sua condição de celíaco ao garçom, se for *Em restaurante japonês observe o rótulo do shoyu pois podem conter glúten.
* Não adianta oferecer “somente a carne” do hambúrguer, “somente o queijo” da pizza,   “só os legumes e carnes” de uma sopa feita com macarrão que contém glúten, pois a contaminação já aconteceu.
* Bebidas alcoólicas como cerveja e whisky devem ser evitados pois ambas contém cevada, que contém malte, que contém glúten, em suas composições.
* Evite as batatas fritas de lanchonetes, pois na maioria das vezes elas também servem nuggets que contém farinhas.
Você pode encontrar muito mais dicas de cuidados no Manual do celíaco da ACELBRA- RJ

O celíaco nunca está só.

feliz sem glutenAtualmente no mundo todo exitem associações de apoio aos celíacos aonde sempre se pode conseguir maiores informações sobre a doença.
No Brasil não é diferente, em vários estados já existe uma associação que são todas ligadas à ACELBRA – Associação dos Celíacos do Brasil.
Eles estão sempre promovendo encontros, aonde se tem atividades físicas e várias palestras.

7 PRINCIPAIS MANDAMENTOS NA VIDA DO CELÍACO

Cumprir com rigor a dieta sem glúten ao longo da vida;
Educar-se sobre o que é a Doença Celíaca;
Ligar-se a uma Associação de Celíacos;
Identificar e tratar as deficiências nutricionais;
Acompanhamento multidisciplinar durante muito tempo;
Consultar-se com um(a) experiente nutricionista;
Orientar os profissionais que desconhecem a doença.

Ajuda profissional

Embora existam muitas dicas sobre a doença celíaca na internet, o ideal seria consultar-se com profissionais que possam orientá-lo sobre os cuidados.
Em todas as associações o celíaco, pode-se encontrar toda ajuda que precisa para seguir uma vida bem mais saudável.

Associações dos Celíacos no Brasil

ACELBRA-SP
ACELBRA-MS
ACELBRA-SC
ACELBRA-RS
ACELBRA-DF
ACELES
ACELBRAJOINVILLE
FENACELBRA
Grupo GEAC
Centro de pesquisas da Universidade de Brasília

Este artigo foi escrito apenas como informação superficial sobre o problemas dos celíacos, que é bem mais sério do que o apresentado. Portanto não nos qualificamos em momento algum a poder ajudar no caso da doença. O ideal é sempre ter um acompanhamento de médicos e especialistas em nutrição para os celíacos, procure a ajuda das associações citadas acima, lá poderão ter todo apoio necessário.