Só passamos a dar maior atenção aos nossos pés quando o calo aperta, uma “rachadura” aparece, a unha encrava ou ainda quando sentimos um cheirinho desagradável. Isso não deveria acontecer assim, afinal tudo tem que estar sempre bem cuidado em nosso corpo, da cabeça aos pés.

Cuidados básicos

Já foi constatado que a falta de cuidados com a higiene é o que levam os pacientes aos consultórios. Cerca de 90% dos casos são de micoses, seguidos pela calosidade e pela verruga plantar, o conhecido “olho de peixe”.

A maioria desses transtornos pode ser evitado com apenas cuidados básicos como: não usar objetos (alicates, tesouras, lixas) não esterilizados, não calçar sapatos com os pés úmidos, usar somente sapatos adequados, nunca ficar descalço ao redor de piscinas, na areia da praia ou em banheiro nessas proximidades. Usar com frequência, lixa na planta dos pés, manter as unhas sempre bem cortadas e limpas.

10 passos essenciais para andar sempre bem

1º PASSO:
Lavar e secar, principalmente entre os dedos, também é recomendado o uso uniforme de talco (de preferência os de polvilho). Aqueles que costumam suar muito nos pés devem dar preferência aos sprays antitranspirantes.


2º PASSO:
Hidratar é essencial, isso deixa a pele dos pés mais macia e evita rachaduras – especialmente nas estações mais frias e secas. Evite o excesso de hidratante, isso pode favorecer o acúmulo de fungos.

3º PASSO:
Cortar as unhas em formato quadrado, isso evita que as unhas fiquem encravadas. É ideal certificar-se de que os produtos (tesouras, alicates) utilizados pelo profissional estejam esterilizados e as lixas, descartáveis. Não “cutuque” por conta própria essa unha acumulada ou calo, procure um profissional para isso.

5º PASSO:
Movimentar os pés, pois ficar com eles sempre na mesma posição, impede a circulação do sangue e provoca dores e inchaço, principalmente para quem trabalha muito tempo sentado ou é sedentário.
No caso de inchaço, a dica é elevá-los a uma altura acima do quadril, ou fazer um ‘escalda-pés’. Se depois disso o inchaço persistir, o melhor é procurar um médico.

6º PASSO:
Evitar andar descalço, principalmente em beirada de piscinas, vestiários de academias, clubes, banheiros e areia das praias) o contato com o chão facilita a contaminação por fungos e doenças.

Aprenda quando e como escolher um sapato.

7º PASSO:
Sapatos fechados masculinos e femininos, sandálias, tênis, o indicado é comprar no fim da tarde, quando os pés geralmente estão um pouco inchados.
Evite o modelo chamado “bico fino”, esses são os principais agravantes da famosa “joanete”, os modelos de couro com formato quadrado na ponta são os mais indicados, tanto para homens quanto para mulheres.
Evite calçados de plástico, isso evita o excesso de transpiração e a proliferação dos fungos.
Quanto a palmilha, a indicação desse deve partir sempre de um ortopedista. Só ele saberá dizer qual o melhor modelo para cada caso.

8º PASSO:
Cuidado ao escolher o salto. A altura ideal para homens é de no mínimo 1,2 cm a 2 cm, e, para as mulheres, de 1,2 cm até 5 cm. As ‘rasteirinha’ ou que não tenham nenhum tipo de proteção de borracha na base deveriam ser evitadas, pois facilitam o atrito dos pés direto com o chão – o que pode afetar todas as estruturas desses membros.

9º PASSO:
O tênis precisa atender as suas necessidades, observe a finalidade de sua utilização (caminhada, corrida, futebol, basquete), caso só possa comprar um para esportes e passeio, escolha algo bem confortável e anatômico. O ideal é que tenham sistema de amortecimento. Ao comprar meias, prefira as de algodão, porque absorvem mais a transpiração.

10º PASSO:
Mantenha os calçados em geral sempre limpos, os cuidados com a higiene inclui a higiene com desses calçados também. Lave de 15 em 15 dias e tente não usar o mesmo calçado por mais de 2 dias seguidos, dê um tempo para ele “respirar”.


Os cuidados devem ser redobrados com o pé diabético, pois quem tem diabetes é mais suscetível a feridas constantes e de difícil cicatrização nos membros inferiores. Nunca use água quente, pois a diminuição da sensibilidade térmica pode fazer com que se queime.

Receita caseira contra olho de peixe

O olho de peixe é uma inflamação que surge no peito do pé geralmente que é muito dolorosa que dá a sensação de queimação, e de difícil extermina-los, deixando muitas vezes a pessoa sem usar saltos ou sapatos.

Muitos remédios encontrados em farmácias prometem acabar com o olho de peixe, mas na verdade muitas pessoas precisam fazer cirurgia para retira-lo. Todos sabem que o melhor é sempre procurar um médico, mas existem receitas caseiras como essa abaixo que podem ajudar.

Você irá utilizar:
1 Dente de alho
1 Vela

Modo de usar:
Descasque o dente de alho, e ascenda a vela.
Esquente bem o alho na vela (cuidado para não queimar o dedo).
Assim que esquentar coloque o alho quente em cima do olho de peixe, dói um pouco , porque o alho solta um óleo.
Faça este procedimento 3 vezes ao dia, todos os dias.