A Diabetes é uma das doenças que mais cresce no mundo todo e isso vem trazendo muita preocupação à população e aos órgãos de saúde.  A decorrência da Diabetes pode ser de várias origens e embora ainda não tenha cura, pode e deve ser tratada e controlada, afim de se evitar outros problemas ainda mais graves.

Dentre as doenças mais comuns ocasionadas pela diabetes estão: doenças arteriais que podem causar infartos ou gangrenas, derrames, insuficiência renal, cetoacidose diabética e não-cetótica coma hiperosmolar, infecções na pele, disfunções eréteis, problemas de visão, entre outras doenças.

Mas, o que é Diabetes?

Diabetes é quando o organismo não produz ou produz de forma insuficiente a insulina ou ainda quando o organismo cria resistência à insulina, o hormônio responsável por controlar os níveis de açúcar no sangue. Desta forma, acontece a hiperglicemia que podem trazer diversos danos à saúde do portador, caso não tratada e controlada.

Causas da Diabetes

• Hereditariedade
• Obesidade
• Alimentação irregular com muito excessos
• De ordem hormonal como Hormônio do crescimento em excesso e hipertireoidismo
• De ordem genética, devido ao processamento irregular da célula β (beta) ou processamento irregular em relação à produção do hormônio insulina.
• De ordem exócrina, como doenças ligadas ao pâncreas: Pancreatopatia fibro calcular, Neoplasia do pâncreas, fibrose cística, Pancreatite crônica, Pancreatectomia e Hemocromatose,
• De ordem infecciosa como citomegalovírus e Coxsackievirus B4
• Feocromocitoma
• Feocromocitoma
• Glucagonoma
• Medicamentos como Glicocorticoides, Hormônio da tireoide, Agonista beta adrenérgicos

Podemos classificar a Diabetes em:

Doença Autoimune ou idiopática (Tipo 1)
Esse tipo de diabetes se caracteriza pelo tratamento necessitar tomar injeções de insulina, pois o organismo do portador reage às células beta, identificando-as como estranhos. Outra característica importante é que o tipo 1 aparece em pessoas jovens ou seja, crianças, adolescentes e adultos abaixo dos 30 anos.

Resistência à Insulina (Tipo 2)
O tipo 2 geralmente ocorre em pessoas acima dos 40 anos devido à diversos fatores como genética, hereditariedade, alimentação desregrada e vida sedentária. Esse é o tipo de Diabetes que mais cresce no mundo inteiro, especialmente na parte ocidental da esfera terrestre. No Brasil por exemplo, cerca de 8 milhões de pessoas, tem algum tipo de diabetes.

Duplo Diabetes (Tipo 3)
O Tipo 3 é uma mistura do tipo 1 e 2, ou seja, além do portador necessitar das injeções de insulina como no tipo 1, o organismo também cria resistência à insulina como no tipo 2. O tratamento portanto, se torna mais complicado e uma dieta rígida e atividade física regular se torna indispensável para o controle da doença.

Diabetes Gestacional
Esse tipo de diabetes ocorre durante a gravidez e pode trazer riscos de vida para a mãe e o feto, mas se for tratada desde o início, o médico receitará medicamento e a gestante deverá entrar em uma dieta específica e desta forma a gestação pode ser levada normalmente e sem riscos. Na maioria dos casos, a diabetes some após o parto, mas nos partos seguintes pode ocorrer novamente.

Sintomas do Diabetes

Em algumas pessoas, a diabetes pode ser assintomáticas, ou seja, o portador não sente ou não percebe os sintomas que revelam a doença, sendo necessário fazer exames de sangue periódicos para detectá-la. Mas a maioria dos portadores podem  apresentar um ou mais sintomas como:
• Sono excessivo
• Fome excessiva
• Perda de peso repentina
• Fadiga e cansaço excessivos
• Sede excessiva (Polidipsia)
• Açúcar na urina (Glicosúria)
• Aumento do volume do xixi (Poliúria)
• Pés dormentes ou formigando (Polineuropatia)
• Alterações na visão (turva ou embaçada)
• Candidíase genital

Diagnóstico do diabetes

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, para saber se um individuo é portador da doença, deve-se seguir esses critérios:

Resultado Diagnóstico
Menor que 100 mg/dL Normal
Entre 100 e 125 mg/dL Glicemia de jejum alterada
Pré diabético
Maior (ou igual) a 126 mg/dL (em 2 medidas) Diabetes

Resultado teste de tolerância à glicose

Resultado (2 horas após 75g de glicose) Diagnóstico
Menor que 140 mg/dL Normal
Entre 140 e 199 mg/dL Intolerância à glicose
Pré Diabetes
Maior (ou igual) a 200 mg/dL Diabetes

Tratamento da diabetes

Embora ainda seja uma doença incurável, o tratamento correto proporciona ao paciente uma vida próximo do normal. O tratamento consiste em incorporar uma rotina à base de dieta e atividade física regular, ser bastante disciplinado em relação a um estilo de vida saudável. Em casos mais graves há necessidade de tratamento com medicamento orais (hipoglicemiantes) e injeções de insulina (diabetes tipo 1 e 3).

Tem-se falado muito sobre a Vivtoza (leia com atenção o artigo Victoza, a polêmica do momento), que parece realmente ajudar, mas pessoas estão fazendo um uso errado dessa medicação, pois pode ter efeitos colaterais em pessoas que não tem diabetes.

Além do tratamento clínico, é importante o portador ter apoio psicológico durante o tratamento inicial da doença, já que na maioria dos casos, a doença implica em mudanças bruscas nos hábitos alimentares e estilo de vida do portador.

Vida normal, mas com cuidados especiais

Apesar de ser difícil, não é impossível… basta ser disciplinado e aprender a conviver com a doença.
Ser diabético, não significa passar fome ou vontade, afinal hoje em dia, existe uma gama de produtos diet, voltados para os portadores de diabetes. Lembrando que o melhor tratamento é a prevenção, ou seja, não deixe a doença chegar para se tratar.

Para isso, é indispensável ter uma alimentação saudável, sem exageros em relação à gordura saturada, trans e açúcar e ter hábitos saudáveis como praticar atividade física regularmente, abolindo de vez o sedentarismo. Só assim o portador poderá ter a doença controlada e ter uma boa qualidade de vida.