Estamos começando uma nova sessão em nosso blog, agora teremos periodicamente conselhos e dicas diretamente de uma nutricionista, Márcia A. Teixeira, especialista em Unidade de Alimentação e Nutrição pelo Centro Universitário do Triângulo. E já que estamos perto da semana santa e o prato principal da grande maioria são os peixes, nada melhor do que saber mais sobre o assunto.

Por que ter peixes na alimentação

De acordo a igreja católica é necessário, na Semana Santa a praticar o jejum, abstinência, caridade e a oração, uma forma de abstenção voluntaria, para substituir a carne vermelha, é a utilização de peixes ou outro tipo frutos do mar.
Já o Ministério de Saúde recomenda o consumo de peixes pelo menos duas vezes na semana, pois os mesmo são fontes naturais de proteínas para o organismo, fornecem também outros nutrientes importantes, como vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais. Os principais minerais encontrados nos pescados são: Zinco, Fósforo, Ferro, Cálcio e Iodo (no caso de pescados de origem marinha).
Os mesmo também são importantes fontes de vitaminas do complexo B (como a tiamina, a niacina e a vitamina B12).
São ricos em ácidos graxos poliinsaturados, um tipo de gordura considerada saudável, destacando-se o ômega-3, encontrado principalmente em peixes de águas profundas e frias, como salmão, sardinha, cavala, arenque e atum.
A denominação genérica ‘PESCADO’ compreende os peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios, quelônios e mamíferos de água doce ou salgada, usados na alimentação humana.

Como escolher

Na hora de comprar o seu peixe ou fruto do mar fique atento a alguns fatores como, o produto deve ser comprado sempre em um estabelecimento que apresente condições de higiene e limpeza.
O consumidor deve dar preferência sempre ao pescado fresco, pois possibilita que a qualidade seja verificada por meio do odor, da textura e da coloração.
O peixe deve ter as brânquias úmidas e brilhantes, e entre a cor de rosa e vermelho intenso. Ainda que seja fresco, sua exposição deve ser sempre em meio a camadas de gelo. Já o produto resfriado, além de ser conservado no gelo, deve ter a temperatura mantida entre 0°C e -2°C.

Se comprar peixe congelado fique atento ao pescado, se sua embalagem está intacta e se há registro do serviço de inspeção federal, tome cuidado com algumas marcas, muitas vezes elas colocam muita água no congelamento do peixe para que ele ganhe mais peso, verificar se todos os dados sobre o produto estão no rotulo e nunca se esqueça de conferir o prazo de validade.


Se optar pelo tradicional bacalhau, deve-se evitar o consumo excessivo de sal. É necessário dessalgá-lo adequadamente, por meio de fervura, para evitar que o teor de sódio no alimento fique alto e não interfira na saúde do consumidor, uma vez que seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial.

Para aqueles que adoram camarão quando for compra verifique a consistência, a cor do camarão que geralmente devem ser acinzentada ou avermelhada, olhe se as pernas e a cabeça do crustáceo se estão bem presas, tendo todos esses requisitos pode comprar sem medo que o camarão está apropriado para consumo.

E para quem opta por comprar o pescado congelado ou para quem congela o peixe fresco, o ideal é congelar os mesmos inteiros, sem as vísceras e mantendo a pele, que é a melhor proteção do peixe. Não congele diversas espécies em um mesmo recipiente ou embalagem, e é sempre importante proteger bem o pescado com filme e sacos apropriados de primeiro uso. Identifique sempre a embalagem com as informações sobre o produto e a data de congelamento.

Depois de comprar

O método mais recomendado para o descongelamento é na geladeira a 4°C, pois diminui a perda de água e garante a manutenção da qualidade do pescado.
No microondas recomenda-se sempre utilizar a opção “descongelar” para garantir o descongelamento uniforme. Não se deve descongelar qualquer pescado em temperatura ambiente, porque não é uniforme e pode gerar perda de qualidade, umidade e permitir o crescimento de micróbios, e lembre-se nunca congele novamente um pescado que já foi descongelado.

Melhor maneira de consumir

É muito fácil preparar um peixe nos dias de hoje você pode comprar peixe já limpo nos supermercados ou peixaria, e é sempre bom ressaltar que o peixe para ser grelhado não precisa necessariamente ser preparado na grelha pode ser feito na frigideira.

Segue por fim algumas dicas nutricionais:
*Dar preferência a peixes assados, cozidos ou grelhados;
*Retirar o couro do peixe antes de consumi-lo. A gordura saudável presente nos peixes está concentrada principalmente em sua carne e não em seu couro;
*Utilizar temperos naturais para preparar peixes, tais como cebolinha, cebola, alho, orégano, manjericão, manjerona, cominho, noz-moscada, louro, etc;
*Deve-se evitar o consumo excessivo de sal e de temperos industrializados. No caso de pescados que já venham salgados, é necessário dessalgá-los adequadamente para evitar que o teor de sódio no alimento fique alto.

Texto escrito por:
Márcia A. Teixeira, nutricionista, especialista em Unidade de Alimentação e Nutrição pelo Centro Universitário do Triângulo.