CAPA-Quais as principais doenças na gravidezFicar doente em qualquer fase da vida requer cuidados especiais para o acometido.

Quando essa doença é identificada durante a gravidez, os cuidados são redobrados, já que temos duas vidas diretamente afetadas, mãe e bebê. Hoje vamos falar quais as principais doenças na gravidez e dar algumas dicas para evitá-las.

Cerca de 80% dos casos de doenças na gravidez são de cunho infeccioso, atingindo especialmente o trato urinário. Esse tipo de doenças na gravidez pode causar complicações como o antecipação do trabalho de parto, aumento no risco de aborto e septicemia na mãe, uma infecção generalizada que se espalha por todo o corpo da pessoa e pode levar a morte.

Apesar da maior incidência das doenças na gravidez de cunho infeccioso, as que mais preocupam os médicos obstetras são as síndromes metabólicas, como a  diabetes gestacional e pré-eclâmpsia, além das complicações de doenças virais como a rubéola, o sarampo, as hepatites B e C e a sífilis. Essas tem complicações maiores tanto para as mães quanto para os bebês.


Veja agora a lista com as principais doenças na gravidez:

Sífilis

A sífilis é uma doença sexualmente transmissível e que pode passar diretamente para o feto.

Ela pode levar a situações de  alteração cutânea, aborto, óbito fetal ainda dentro do útero e após o nascimento, lesões ósseas e articulares, entre outras complicações.

Essa é uma das principais doenças na gravidez e facilmente tratada na mulher adulta, com algumas doses de Penicilina (Benzetacil), mas sem tanta eficácia no tratamento em crianças.

MIOLO-Quais as principais doenças na gravidez

Diabetes gestacional

Essa é a segunda doença mais frequente durante a gestação e por isso aparece com destaque entre  as principais doenças na gravidez.

Ela costuma aparecer entre a 26ª ou 27ª semana de gravidez e se mostra mais frequente em mulheres com histórico de hereditariedade da doença ou que acabam por engordar muito nesse período.

Pré-eclâmpsia

A doença hipertensiva específica da gravidez, chamada de pré-eclâmpsia é a que mais preocupa os médicos obstetras. Isso devido a grande incidência e suas graves consequências.

No Brasil, por dia, três grávidas são vítimas da doença. Se confirmado o diagnóstico, a mulher deverá adotar uma alimentação pobre em sal e controlar sua pressão arterial.


Rubéola

Toda mulher deve tomar a vacina com no mínimo três meses de antecedência antes da gravidez. Pois quando ela é contraída durante a gravidez, pouco se pode fazer, além de exames para constatar a presença ou não de malformação no feto.

Hepatite B

Essa é uma doença  que pode ser transmitida diretamente da mãe para o bebê e a presença do vírus da hepatite B na mulher representa risco de 50% de transmissão para o feto.

Se contatada na gravidez, a criança, após o nascimento, deverá ser vacinada o quanto antes, podendo receber também a chamada imunoglobulina e poder ser liberada a amamentação.

 

A gestação pode predispor para algumas dessas doenças e por isso, é por mais simples que pareçam os sintomas, a doença pode ter complicações na saúde da mãe do da criança. Então, sempre é preciso procurar um médico e tratar, assim que os sintomas começarem.