CAPA- sífilis tem curaEm meio a tantas informações que temos sobre as doenças sexualmente transmissíveis (DST), muitas delas acabam por passar desapercebidas ou apenas não temos o interesse de buscar fundo sobre o assunto.

Hoje vamos responder uma dúvida que muitos tem: “a sífilis tem cura?”. 

Acompanhe nosso artigo e saiba mais sobre essa DST’s, que somente no Brasil, registra cerca de 3,5 milhões casos novos por ano, ou seja, isso quer dizer que há um mínimo de 3,5 milhões de pessoas portadoras da bactéria que causa a  sífilis  e com potencial para transmitir esse bactéria a novas pessoas.

O que é a sífilis?

Responsável por cerca de 70% dos casos de  contaminação por sífilis da América Latina, segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil  é um dos países com maior taxa de contaminação por essa doença sexualmente transmissível.


A sífilis é causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum, que pode ser contraída através do sexo vaginal, anal e/ou oral, além de também poder ser transmitida de forma não sexual, como passada da mãe para o feto, por transfusão de sangue ou por contato direto com sangue contaminado pela doença.

Segundo dados do Instituto Emílio Ribas de São Paulo, a maioria entre os contaminados são homens de 30 á 40 anos de idade. Um dos primeiros sintomas é o aparecimento de um úlcera na região genital, parecida com uma afta, que não dói.

MIOLO-sífilis tem cura

A sífilis tem cura?

Felizmente a sífilis tem cura! Mas se a pessoa acometida por essa doença não for tratada pelos medicamento e período correto, a bactéria pode se espalhar por todo o organismo do paciente e, após anos de infecção, acarretar em complicações graves e  danos no sistema nervoso central.

A sífilis apresenta três estágios de gravidade:

  1. a sífilis primária, onde aparecem pequenas feridas nos órgãos genitais, que desaparecem normalmente e não deixam cicatrizes no local;
  2. A sífilis secundária, onde pode ter o aparecimento de manchas vermelhas por toda a pele, manchas vermelhas pela mucosa da boca;  febre; dor de cabeça persistente e  inchaço dos linfonodos espalhados pelo corpo.  Nesse estágio os sintomas também podem regredir sem tratamento, porém a doença ainda continuará ativa no organismo;
  3. A sífilis terciária, onde o paciente pode ter um comprometimento do sistema cardiovascular, do sistema nervoso central e aparecimento de várias lesões pela pele e pelos ossos. Já a sífilis na gravidez ou sífilis congênita pode acarretar aborto espontâneo, má formação do feto, a morte fetal dentro do útero e outros problemas futuros a criança.

Qual medicamento usar?

O medicamento mais indicado para esse tratamento é a penicilina benzatina, mais conhecida como Benzetacil.

A sífilis tem cura no organismo quando o VDRL (sigla de Venereal Disease Research Laboratory) cai, no mínimo, 4 titulações, ou seja, não precisa chegar ao zero para que seja confirmada a cura do paciente.